Drones da Amazon levam produtos de até 25 kg a quase 100 km/h

Drones da Amazon levam produtos de até 25 kg a quase 100 km/h


Em testes desde o final de 2013, o "Prime Air" é um projeto da Amazon que almeja entregar os produtos adquiridos no site Amazon.com utilizando drones. A novidade é que, após a regulamentação de uma zona segura para a operação das aeronaves, a empresa entregou todos os produtos adquiridos em um área de testes no Canadá coberta pelo sistema de "drones entregadores" em menos de 30 minutos. Um modelo de negócio que, se funcionar, vislumbra o futuro no mercado de entregas nos grandes centros urbanos.
De acordo com o jornal britânico The Guardian, que teve acesso ao local secreto utilizado como zona de testes pela Amazon nos últimos meses, a empresa está aprimorando o sistema de entrega com a ajuda de um ex-astronauta da NASA e um designer que ajudou a desenvolver o Boing 787.
Os drones do sistema "Prime Air" vão realizar entregas em um faixa de altitude entre 200 e 500 pés, região onde a maioria dos prédios não chega e abaixo de onde a aviação geral exerce atividades. Os drones serão capazes de viajar a 60 mph (95 km/h aproximadamente) e transportar produtos de até 25 kg, embora a Amazon acredite que 86% das entregas estarão abaixo dos 2,3 Kg.

Os drones do projeto "Prime Air" também estão municiados com tecnologia que permite a detecção de objetos durante o voo e realizar o desvio automaticamente, então árvores e edifícios não serão um grande problema para a Amazon. Turbulências provocadas por campos eletromagnéticos e rajadas de vendo durante o percurso, dois fatores praticamente imprevisíveis, ainda são obstáculos que precisam ser contornados para que o novo sistema funcione plenamente.
Atualmente, os EUA não liberaram a Amazon para testar ou operar seu sistema de entregas dentro do território norte-americano, o que provocou uma grande queda de braço na justiça entre empresa e governo para liberar a operação do "Prime Air" e seus drones. Enquanto as negociações com o governo Obama não avançam, a gigante de vendas começa a mirar na Europa, já tendo, inclusive, realizado testes de entregas na Inglaterra.

Compartilhe usando