Universidade nos EUA oferece bolsas para jogadores de League of Legends

Universidade nos EUA oferece bolsas para jogadores de League of Legends

Instituição é a 1ª do país com bolsas de até US$ 15 mil para eSports.
Alunos representam universidade como atletas profissionais.

Youngbin Chung, de 20 anos, é um dos bolsistas da Robert Morris University como jogador e League of Legends (Foto: M. Spencer Green/AP)Youngbin Chung, de 20 anos, é um dos bolsistas da Robert Morris University como jogador e League of Legends (Foto: M. Spencer Green/AP)
Quando mais novo, o jovem Youngbin Chung se tornou viciado em jogos no computador, chegando a passar 10 horas por dia online, o que refletiu em um péssimo desempenho escolar e deixou seus pais desesperados.
Alguns anos depois, o rapaz de São Francisco, agora com 20 anos, é o líder de um time de jogadores dentro de uma pequena universidade particular em Chicago, no estado de Illinois, onde Chung estuda redes de computadores com uma bolsa de atleta de quase US$ 15 mil para jogar League of Legends - título que, uma vez, chegou a ameaçar seu diploma.
“Nunca pensei em toda minha vida que conseguiria uma bolsa para jogar videogame”, disse o rapaz, um dos 35 estudantes bolsistas da Robert Morris University, a primeira universidade dos EUA a oferecer esse tipo de benefício.
Antes estigmatizados como nerds que viviam no porão de casa, os gamers se tornaram estrelas dos agora chamados “eSports” (esportes eletrônicos, em tradução livre). Nas ligas profissionais, esses jovens competem por milhões de dólares em prêmios, fazem fortunas para liquidar seus inimigos virtuais naquilo atraiu um enorme público, composto de dezenas de milhares de entusiastas que lotam estádios para assistir às partidas.
Alunos representam a universidade como atletas profissionais e ganham bolsas de até US$ 15 mil (Foto: M. Spencer Green/AP)Alunos representam a universidade como atletas
profissionais e ganham bolsas de até US$ 15 mil
(Foto: M. Spencer Green/AP)
A instituição, uma universidade sem fins lucrativos com cerca de 3 mil estudantes, acredita que habilidades usadas nos jogos, como trabalho em equipe, construção de estratégias, previsão dos movimentos do adversário e reações em milisegundos, não são diferentes daquelas usadas no campo de futebol ou na quadra de basquete, e que gastar dinheiro para recrutar esses estudantes também irá enriquecer a vida no campus e torná-los alunos de alto desempenho.
Centenas de outras faculdades e universidades possuem clubes de eSports, mas a Robert Morris é a primeira a reconhecer como um time oficial da instituição, ligado ao departamento atlético. As bolsas, que cobrem até metade da mensalidade, são para um único jogador de League of Legends, nos quais equipes cinco pessoas usam teclados e mouses para controlar criaturas míticas em um cenário de ficção científica.
O Robert Moris Eagles irá jogar com times em duas ligas que incluem instituições como Harvard e MIT, com a esperança de conseguir uma vaga no campeonato universitário de League of Legends da América do Norte, no qual os primeiros colocados podem conquistar US$ 30 mil em bolsas de estudo.
De acordo com a "Riot Games", empresa responsável pelo título, mais de 27 milhões de pessoas jogam League of Legends, todos os dias.
Este ano, o campeonato profissional ocorre em 19/10 em Seul, e acontecerá em um estádio naCoreia do Sul construído primeiramente para sediar a copa de 2002. Com 45 mil lugares, os organizadores esperam que todos os ingressos sejam esgotados, e o time vencedor levará um prêmio e US$ 1 milhão.
Time da Robert Morris University participa de treinamento em Chicago, Illinois (EUA) (Foto: M. Spencer Green/AP)Time da Robert Morris University participa de treinamento em Chicago, Illinois (EUA) (Foto: M. Spencer 

Compartilhe usando