Samsung é processada por excesso de aplicativos pré-instalados em seu dispositivos

Samsung é processada por excesso de aplicativos pré-instalados em seu dispositivos

Por diversas vezes nos surpreendemos com a quantidade limitada de armazenamento disponível em um dispositivo recém-adquirido. O valor anunciado na caixa do aparelho não está totalmente acessível ao usuário e, nem sempre, a culpa pode ser atribuída ao sistema operacional. Os aplicativos pré-instalados se tornaram fonte de dinheiro para muitas fabricantes, e os usuários precisam administrar o espaço disponível em seus dispositivos realizando uma série de manobras. No entanto, se depender da Comissão de Proteção dos Direitos dos Consumidores de Shangai, essa prática pode tomar outro rumo. Confira detalhes abaixo.


A comissão chinesa está acusando a Samsung de comercializar dispositivos com capacidades de memória muito abaixo do informado na caixa. De acordo com o órgão, o Galaxy Note 3 (modelo chinês) possui 44 aplicativos pré-instalados sem qualquer menção na embalagem do produto ou instrução para desinstalação dos mesmos. As acusações foram realizadas com base nas reclamações de diversos usuários insatisfeitos com a presença de diversos aplicativos, como dicionários, jogos, portais de compras, entre outros softwares rodando em segundo plano. Além da Samsung, a Oppo também foi advertida pela comissão por conter aproximadamente 71 aplicativos pré-instalados no modelo X9007.

Os bloatwares se tornaram uma prática comum entre muitas fabricantes, principalmente como fonte de renda gerada a partir de parcerias comerciais. No entanto, muitos usuários estão procurando cada vez mais por dispositivos com menos aplicativos pré-instalados, como é o caso do Motorola Moto G. Ambas as fabricantes possuem até 15 dias para responder às alegações, e após este posicionamento, o tribunal de Shangai irá definir uma data para julgar os casos.
E aí, seu dispositivo também possui muitos aplicativos pré-instalados?
Fonte: Slashgear

Compartilhe usando