Será se a Xiomi acertará onde a Google errou?

Será se a Xiomi acertará onde a Google errou?

O projeto Android One, da Google, nasceu com a intenção de conquistar o segundo bilhão de usuários do sistema operacional Android. Contudo, praticamente um ano depois do seu lançamento, as vendas do Android One não chegam a um milhão de dispositivos. A chinesa Xiaomi acaba de chegar ao mercado nacional e, apesar de se intitular uma startup, pretende "dominar o mundo" com smartphones de qualidade a preços baixos, assim como a Google quis com o Projeto Android One. Mas o que faria a Xiaomi vingar onde a Google fracassou?

Google e o Android One

O Android One sempre pareceu um daqueles projetos da Google que começam cheio de expectativas e promessas, tal como o Google Glass, o Google Wallet e o Nexus Q, por exemplo, mas que acabam em uma gaveta no laboratório Google X. O projeto oferecia uma espécie de modelo de smartphone para as fabricantes, com um design padrão, mas de qualidade, e um software baseado no Android puro. Muito parecido com o que temos na série Nexus, porém ainda mais acessível em termos econômicos e que levava o nome da fabricante de hardware.
O primeiro país a receber os smartphones do Projeto Android One foi a Índia, um país com mais de 1,2 bilhão de habitantes, onde a gigante das buscas contou com o suporte de três fabricantes locais, uma delas a Micromax, que chegou a bater a Samsung em vendas, mas poucos dos smartphones vendidos vieram da parceria com a Google de acordo com uma fonte do Wall Street Jounal. Levando ainda em consideração o que foi divulgado pelo The Economic Times, nenhuma das três fabricantes que trabalhou no Projeto Android One pretende construir uma nova versão destes smartphones. Logo, este pode ser o fim desta iniciativa da Google, a não ser que a gigante das buscas procure novos empresas associadas.
android one
O que pode ter faltado para o Android One? / © Google
O que pode ter faltado para o Android One? / © Google
De acordo com a análise do site Re/code, o que levou a Google a falhar com o projeto foram basicamente três fatores: marketing, desenvolvimento de software e o modelo de venda dos dispositivos. Bom, é aqui que me parece que a Xiaomi possui uma grande experiência e pode atuar de forma diferente.

Xiaomi e o modelo de negócios com mentalidade de startup

A Xiaomi, como pontuamos várias vezes, apesar de investir pouco em marketing, possui uma comunidade muito grande e faz um trabalho de engajamento muito forte em redes sociais. Desta forma, os produtos da empresa acabam ficando bastante conhecidos pelo seu custo/benefício, pela qualidade do hardware e pelo investimento semanal na ROM baseada no Android, conhecido como MIUI. Além disso, o modelo de vendas da empresa é focado em um pequeno portfólio e em uma média de tempo de venda do produto mais longa que a da maioria das OEM's. Assim, a empresa consegue controlar custos e, ao mesmo tempo, manter o software atualizado.
Usando essa estratégia, só no primeiro semestre de 2015, a fabricante já vendeu 34,7 milhões de smartphones, entre eles aparelhos realmente baratos, como é o caso doRedmi 2, que a fabricante vem investindo fortemente na Índia e acaba de lançar no mercado nacional.
xiaomi redmi 2 androidpit
dmi 2 é a aposta da Xiaomi no Brasil. / © ANDROIDPIT
De acordo com a análise do site Re/code, o que levou a Google a falhar com o projeto foram basicamente três fatores: marketing, desenvolvimento de software e o modelo de venda dos dispositivos. Bom, é aqui que me parece que a Xiaomi possui uma grande experiência e pode atuar de forma diferente.

Xiaomi e o modelo de negócios com mentalidade de startup

Logo, respondendo à pergunta inicial deste artigo, se a Xiaomi pode vir a vingar onde a Google fracassou com o Projeto Android One, me parece bem clara: a fabricante chinesa conhece o mercado, está dentro dele enquanto investidora e sabe promover o seu próprio produto. Não me parece difícil ver o segundo bilhão de usuários do sistema operacional Android chegando através da Xiaomi, ou mesmo de outras empresas com as mesmas características de negócio.
E você, o que pensa a respeito de smartphones de baixo custo e empresas como a Xiaomi chegando em mercados com um potencial de crescimento na área de dispositivos móveis, tais como a Índia e o Brasil? Como o sistema operacional Android pode ganhar mais usuários com isso? Deixe-nos saber sua opinião nos comentários abaixo.

Compartilhe usando