Por que os smartphones chineses são tão baratos?

Por que os smartphones chineses são tão baratos?

Os smartphones chineses aos poucos estão invadindo o ocidente com seus baixos custos e suas belas especificações técnicas. É possível que você já tenha pensado em comprar um deles ou conheça alguém que possua um dispositivo chinês e se vangloria do pouco que ele custou. Qual é o segredo por trás dos baixos preços praticados pelas fabricantes chinesas? Continue lendo e descubra os motivos pelos quais os smartphones chineses são tão baratos.

Mão-de-obra

Um dos motivos mais conhecidos, e também mais polêmicos, é a mão-de-obra chinesa. A China tem um dos mais baixos custos com a mão-de-obra, e muitas fabricantes internacionais também possuem montadoras no país. Com isso, o custo de produção é reduzido ao máximo, e as margens de lucro podem ser aumentadas.
No caso das fabricantes chinesas (Xiaomi, Huawei, Meizu e tantas outras), há a vantagem de que fabricam os dispositivos “em casa”, o que supõe um custo ainda menor do que, por exemplo, para a Apple, Samsung, ou Sony. Isso, aliado a outras estratégias descritas abaixo, permitem que os preço possam ser reduzidos ao máximo.
oppo n3 1
O Oppo N3, um bom exemplo de smartphone chinês bom e barato. / © ANDROIDPIT

Alta tecnologia, mas não de ponta

Aqui vamos nos concentrar na parte que faz um smartphone funcionar: o hardware. Se já pesquisou smartphones chineses num site de vendas, certamente terá encontrado dispositivos com especificações dignas de um top de linha, mas com preço bem inferior a, por exemplo, um Galaxy S6. Sim, o dispositivo coreano  tem peças de maior qualidade, mas será que a diferença é tão grande assim?
Quando se decide por um hardware, as fabricantes buscam um equilíbrio entre um bom preço e uma potência que rivalize com os outros aparelhos da mesma categoria. Na grande maioria dos casos, escolhem um processador Mediatek, também uma empresa chinesa que preza pela qualidade a baixos preços, e dessa forma a relação custo/benefício se mantém ideal desde o começo.
meizu mx5 date sortie prix actualites caracteristiques image tony balt 10
O Meizu MX5, com seu processador Mediatek, tem como arma principal seu preço comedido. / © Meizu
Quanto à memória RAM, não apostam numa memória DDR4. Qualquer smartphone chinês high end apostará numa DDR3, que é mais barata e não difere muito da outra. As câmeras são compradas da Sony em sua maioria, já que, como acontece com a Mediatek, têm uma boa relação custo/benefício, sem contar com o fato de que a empresa japonesa é a maior distribuidora de sensores de câmeras para smartphones.
Quando falamos de telas, costuma-se recorrer à LG ou à Japan Display (cujas telas são de qualidade ligeiramente menor e mais baratas) se a aposta for num painel IPS, ou à Samsung se decidem apostar por uma AMOLED (aqui não há alternativa). Dessa forma, em cada peça, busca-se manter um equilíbrio entre preço baixo e qualidade.

Foco em venda online

O comércio eletrônico, ou e-commerce, é o método de venda mais usado pelas fabricantes chinesas. Empresas como a Apple e Samsung gastam rios de dinheiro com lojas próprias, mas esse dinheiro acaba sendo repassado nos custos dos dispositivos. Quando alguém compra um Galaxy S6 Edge, no preço do dispositivo já estão incluídas a distribuição, as lojas que você nunca visitou e outras coisas. Com um smartphone chinês, economiza-se na maioria das vezes a parte da distribuição para lojas físicas.

Marketing sim, mas marketing barato

Já viu um anúncio do Galaxy S6 ou do iPhone 6s? E a HTC que no ano passado pagou uma fortuna para ter o ator Robert Downey Jr. como garoto-propaganda? Coisas como essas fazem disparar os custos dos respectivos aparelhos. E no final quem paga realmente é o consumidor.
sony xperia z5 calling
Empresas como a Sony gastam fortunas com publicidade de seus aparelhos. / © ANDROIDPIT
Um método de marketing muito mais barato e que produz efeitos quase tão bons é a publicidade pelas redes sociais. Mais pessoal, ela pode encontrar seu público-alvo de maneira mais eficiente do que os tradicionais e caros espaços publicitários no intervalo da novela das 9.

Estoque limitado

Um método de venda que funciona muito bem, sobretudo na China, é a criação de uma necessidade. A necessidade de comprar um smartphone, porque quando o estoque acabar teremos perdido a chance. As fabricantes chinesas têm sempre isso em mente, de modo que produzem uma quantidade limitada e colocam os dispositivos à venda com grande alarde nas redes sociais. Como exemplo, a primeira leva de dispositivos Xiaomi Mi4 foi esgotada em apenas 37 segundos.
IMGL9282
O Xiaomi Mi4 se esgotou em apenas 37 segundos. / © ANDROIDPIT

Não vendem apenas smartphones

As fabricantes chinesas costumam ter uma margem de lucro baixa quando o assunto são vendas de smartphones, e dessa forma recorrem à venda de acessórios para aumentar os ganhos. O mais comum é que os referidos acessórios sejam capas para alguns de seus modelos, mas uma ou outra fabricante tem um leque bem amplo de produtos.
IMGL9282
A Mi tem uma ampla gama de acessórios. / © ANDROIDPIT
IMGL9415
Graças à venda de acessórios e serviços próprios (como uma loja própria de apps), as fabricantes chinesas podem permitir-se vender seus dispositivos a preços mais baixos.

Como fica a qualidade final do produto?

Alguns anos atrás, smartphone chinês era sinônimo de aparelho de baixa qualidade, mas agora esse preconceito está caindo no ocidente. É verdade que não são usados materiais de ponta e super caros, mas também é verdade que não se usam mais materiais de qualidade péssima. Não é difícil, por exemplo, encontrar um smartphone chinês hoje em dia com carcaça de alumínio.
IMGL9415
O OnePlus 2 é um smartphone de muito boa qualidade, baixo preço e fabricação chinesa. / © ANDROIDPIT
AndroidPIT OnePlus 2 back cover sandstone black 2
Os smartphones chineses se mostram ideais não apenas para o uso cotidiano, mas também para a reprodução de conteúdos de multimídia graças a telas com boa resolução e grande qualidade, bem como um padrão de som que não deve nada às fabricantes tradicionais. Tudo isso a um preço que, mesmo considerando as altas taxas de importação e a cotação do dólar, ainda se mostram competitivos em muitos casos.
Obviamente nem tudo são flores. Suas interfaces de usuário em alguns casos dão pena, e com algumas exceções não verão jamais uma atualização, mas se você não faz questão de ter sempre a última versão do Android, deveria começar a prestar mais atenção nos smartphones chineses.
Você já teve ou tem um smartphone chinês? Qual é a sua experiência?




Compartilhe usando